MENU

domingo, 19 de julho de 2015

O assalto ao Bradesco de Trairão e o evento midiático para enaltecer a cúpula da segurança pública

A Polícia Civil transferiu, nesta quinta-feira, 16, para Belém, cinco dos sete homens presos, por envolvimento na tentativa de roubo ao Posto Bancário do Bradesco, em Trairão, sudoeste paraense. A chegada dos presos aconteceu, por volta de 17h30, no Hangar do Estado, no Aeroporto de Val-de-Cães, e apresentação deles foi realizada na Delegacia-Geral, durante entrevista coletiva. Com os presos, foram trazidas para a capital as cinco armas de alto poder de fogo encontradas escondidas em uma fazenda, em Trairão: um fuzil Fal calibre 7,62; uma carabina calibre ponto 30 e três escopetas calibre 12. O armamento foi usado durante a ação do grupo armado que resultou na morte do gerente do banco, Rodrigo Coutinho. As prisões dos bandidos que praticaram a tentativa e  mataram o gerente do banco foi efetuada por policias militares destacados em Jacareacanga e a Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) e da Companhia de Operações Especiais (COE), juntamente com policiais civis e militares da região prenderam duas pessoas que teriam dado apoio ao bando.
Jeferson Ferreira Linhares, Douglas Lima dos Santos,  Lucenildo Barbosa,  Luziel  Barbosa e  Edinélio Cavalcante Lima
A bem da verdade e apesar do alarde que fez o setor segurança pública, por pouco os bandidos que praticaram a tentativa de roubo e o homicídio contra o gerente do banco não fugiram para outro estado e, possivelmente, nunca mais fossem encontrados. Mas parece que a prisão se deu de forma perfeita, que a delegacia de repressão ao crime organizado fez um trabalho maravilhoso e colocou atrás das grades esse bando, porém não foi bem assim. A prisão dos bandidos que efetuaram o crime foi foi feita por policiais militares que atualmente estão trabalhando em Jacareacanga e por sorte e perspicácia dos militares que suspeitaram dos três bandidos e mesmo sem ter certeza daqueles homens terem envolvimento com o crime os mantiveram presos até terem a certeza de que realmente era parte da quadrilha. Interessante da história é que aqueles que prenderam os bandidos nem foram citados por aqueles que apareceram na mídia como se fossem os verdadeiros responsáveis pelas prisões. Verdade dita, ele prenderam em conjunto com a polícia que atua aqui três pessoas que tem envolvimento com crimes e teriam dado apoio logístico e de informação. E ainda dos quatro que praticaram o crime  um não foi preso, que segundo o trio seria o que efetuou os disparos que ceifou a vida do gerente Rodrigo Coutinho.
Lucenildo
Luziel
Douglas 

Durante o depoimento dos três, eles declinaram o local onde haviam deixado as armas usadas no crime. Os policiais civis e militares foram até uma fazenda, na zona rural de Trairão, onde levaram cerca de cinco horas para localizar o armamento escondido em um matagal. O dono da fazenda, Jeferson Ferreira Linhares, conhecido como "Jeferson Ostentação", foi preso acusado de dar apoio ao grupo criminoso e fornecer alimentação. Ele é dono de várias propriedades na região e suspeito de envolvimento em tráfico de drogas
Um fuzil Fal calibre 7,62, uma carabina calibre ponto 30 e três escopetas calibre 12
com informações da Polícia 
Edinélio Cavalcante Lima, de apelido "Irmão", é apontado como a pessoa que ajudou no transporte do grupo 

Robson Chaves Lucena era o olheiro do grupo, assim como Evandro Guimarães Souza
Com informações do site da Polícia Civil (www.policiacivil.pa.gov.br)
≤≥ Blog RPI /rota policial de Itaituba

Nenhum comentário:

Postar um comentário

colabore: envie seu comentario para o blog