MENU

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Djacir admitiu aparecer nas filmagens, mas nega crime em Itaituba (PA).

Do G1 Pará

Djacir Ferreira de Sousa estava preso em Goiás por outros assassinatos

Chegou a Belém no final da tarde deste domingo (30), Djacir Ferreira de Sousa, apontado pela polícia como o assassino da procuradora do município de Itaituba, Leda Marta Lucyk dos Santos, 40 anos, da filha dela Hanna Estela, 10 anos, e de uma funcionária da família, Taynara Siqueira. Djacir estava preso no estado de Goiás, onde é suspeito de cometer outros crimes.

O triplo homicídio foi no dia 22 de fevereiro de 2014. Elas foram mortas a facadas dentro de uma loja de propriedade da procuradora, em Itaituba, no sudoeste do Pará. O ex-marido de Leda, o advogado Altair dos Santos, foi apontado pela polícia como o mandante do crime.

"Nós já inquirimos ele lá na cidade de Estrela do Norte (GO) e no momento de sua oitiva ele admitiu ser a pessoa que aparece nas filmagens comprando a faca, adentrando no estabelecimento onde foram assassinadas a doutora Leda, a pequena Hanna e a senhora Tayna. Mas ele nega que tenha cometido esse crime, bem como ele nega conhecer o doutor Altair dos Santos, advogado que se encontra preso", explicou o delegado Silvio Birro.

Djacir estava preso há cerca de 60 dias em Goiás. Ele foi autuado em flagrante por matar a facadas um idoso de 80 anos. De acordo com a polícia, Djacir é suspeito de ter cometido outros três assassinatos em Goiás. No Pará, ele deve permanecer preso.

"Durante a instrução processual ficou provado que o mandante teve conversas com Djacir e por isso ele foi pronunciado. Provavelmente por isso que o Djacir hoje está preso e vai permanecer preso até o final da instrução dele, que está suspensa agora e retomará seu curso normal: vai enfrentar o Tribunal do Júri, onde nós vamos buscar a condenação", afirmou o advogado assistente de acusação, Rodrigo Godinho.

Entenda o caso

Triplo Homicídio Itaituba Ieda Marta Lucick dos Santos Procuradora (Foto: Reprodução/ TV Liberal)A advogada Leda Marques, a filha Hanna Estela e a funcionária da família, Taynara Siqueira, foram mortas a facadas no dia 22 de fevereiro de 2014 em Itaituba, sudoeste do Pará. Os corpos foram encontrados por volta das 20h.

O circuito interno de filmagem do local onde aconteceu o crime registrou o momento em que Djacir entra antes e sai após o crime da loja. A faca usada para matar as três pessoas foi encontrada em uma lixeira distante uns 60 metros do local.

O ex-marido de Leda, Altair dos Santos, foi apontado pela polícia como o mandante do crime. Ele teve a prisão preventiva decretada dois dias após os assassinatos. Ele teria encomendado a morte da esposa e da própria filha por não ter aceitado a separação.

"Há muitos elementos, muitas evidências, todas que conduzem ao único suspeito de ter mandado e tramado matar a Leda, que é o seu ex-marido Altair, que está preso. Evidente que agora com a prisão do Djacir, novas provas técnicas serão produzidas", afirmou Jarbas Vasconcelos, presidente da OAB-PA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

colabore: envie seu comentario para o blog