MENU

domingo, 25 de setembro de 2016

Com aplicativos para celular, eleitores podem fazer denúncias de compra de votos

Sabrina Craide - Repórter da Agência Brasil

O TSE  desenvolveu 11 aplicativos para smartphones e tablets para que os eleitores participem mais ativamente do processo eleitoral deste ano. (Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

De olho na conectividade cada vez maior dos brasileiros, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) desenvolveu 11 aplicativos para smartphones e tablets para que os eleitores participem mais ativamente do processo eleitoral deste ano. Com os apps, é possível acompanhar o resultado das eleições municipais, fazer denúncias de irregularidades e até participar da verificação do número de votos registrados nas urnas eletrônicas.
“Desde que o processo se tornou informatizado, há 20 anos, o compromisso da Justiça Eleitoral é justamente utilizar os recursos e as funcionalidades que a tecnologia proporciona e evoluir o processo eleitoral na mesma velocidade que evolui a tecnologia”, diz o secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Giuseppe Janino. Os aplicativos estão disponíveis para as plataformas IOS e Android. Atualmente, existem mais de 196 milhões de acessos em internet móvel no país, incluindo 3G e 4G.
Uma das principais apostas do TSE para este ano é o aplicativo Pardal, que permite que os eleitores façam denúncias de propaganda eleitoral irregular, tanto nas ruas como na internet e em veículos de comunicação. A denúncia é feita pelo próprio aplicativo, com o envio de fotos, vídeos ou áudios. Por exemplo, se um eleitor encontrar um outdoor de um candidato na rua, que é proibido, pode tirar uma foto e mandar pelo aplicativo, que automaticamente envia a denúncia para análise do Ministério Público Eleitoral. Também é possível denunciar outras irregularidades como compra de votos, uso da máquina administrativa ou gastos irregulares.
Veja aqui quais são as condutas proibidas aos candidatos.
Em três semanas, o aplicativo já recebeu mais de 25 mil registros de irregularidades de todo o país. Janino estima que o número de denúncias deve subir com a proximidade das eleições, mas destaca que mais importante que isso é o caráter pedagógico das denúncias. “Sabendo que está sendo vigiado pelo cidadão, o candidato tem um comportamento adequado ao que prevê a lei”, diz.
Outra novidade deste ano é o aplicativo Boletim na Mão, que permite que, ao final da votação, os eleitores conheçam os votos depositados em uma urna eletrônica específica. Quando a eleição é encerrada, a urna apura os votos automaticamente e imprime o resultado em papel, que é distribuído para os fiscais e afixado na porta da seção eleitoral. O boletim tem um QR code, que é uma espécie de código de barras que pode ser escaneado pela maioria dos aparelhos celulares com câmera fotográfica. Com esse código, por meio do aplicativo, o cidadão poderá ter as informações dos votos daquela urna para depois comparar com o que é divulgado oficialmente.
“É uma forma de o cidadão comum também acompanhar e auditar o trâmite das informações que saem das urnas eletrônicas. É um processo simples, mas de uma importância estratégica, porque significa que no exato momento em que se encerra a votação o resultado já se torna de conhecimento público. Então, tudo o que acontece dali para a frente é facilmente verificável”, explica Janino.
Com o aplicativo Candidaturas, o eleitor pode analisar os dados de cada candidato, como nome, foto, planos de governo e dados de prestação de contas. O eleitor também pode “favoritar” seu candidato, para acompanhar seu desempenho posteriormente. “Essa é uma característica do eleitor brasileiro, de esquecer do candidato em quem votou, principalmente considerando nos cargos proporcionais”, diz o secretário do TSE.
Alguns aplicativos ainda não estão disponíveis, mas poderão ser baixados nos próximos dias. É o caso do Onde Votar ou Justificar, que informa o local exato de votação e o melhor caminho para que o eleitor vá até sua seção. O aplicativo Resultados, que permite o acompanhamento da totalização de votos em todos os municípios em tempo real, também deve ser disponibilizado em breve. Esse foi o aplicativo mais baixado da Apple Store em 2014 nas vésperas das eleições. Nas eleições 2014, o TSE colocou quatro aplicativos à disposição dos eleitores.
Alguns aplicativos são mais voltados para os funcionários da Justiça Eleitoral, como o Mesários, que disponibiliza informações para quem vai trabalhar nas eleições, como a forma de preparar a seção, a identificação do eleitor e a proibição de propaganda no dia da votação. O QRUEL e o Checkup da Urna são para uso de servidores da Justiça Eleitoral e servem para verificar o funcionamento correto das urnas eletrônicas.
Todos os aplicativos foram desenvolvidos de forma colaborativa por técnicos do TSE e dos tribunais regionais em todo o país. Para o secretário de Tecnologia da Informação do TSE, essa tecnologia contribui para uma maior participação dos cidadãos no processo eleitoral. “Os aplicativos trazem informações consistentes, de uma forma facilitada, objetiva e didática, e permitem que o eleitor interaja no processo, buscando cada vez mais um processo democrático e rígido com relação ao cumprimento das leis e dos direitos do cidadão brasileiro”, diz.
Veja os aplicativos disponibilizados pelo Tribunal Superior Eleitoral para as eleições deste ano:
Pardal – Permite a notificação de irregularidades nas campanhas. Ao identificar um problema, o cidadão tira uma foto e, por meio do aplicativo, envia as evidências para a Justiça Eleitoral no estado ou município, que fará a análise da denúncia.
IOS https://itunes.apple.com/br/app/pardal/id1138128680?mt=8
Android https://play.google.com/store/apps/details?id=br.jus.trees.pardalmobile&...
Candidaturas - Permite que o eleitor acompanhe o seu candidato e acesse informações como nome, número, situação do registro de candidatura, cargo, partido, coligação e o link para o site do candidato. O dispositivo também exibe os dados da prestação de contas dos políticos.
IOS https://itunes.apple.com/br/app/candidaturas/id898364507?mt=8
Android https://play.google.com/store/apps/details?id=br.jus.tse.eleitoral.candi...
Mesários - Leva informações a cerca de dois milhões de colaboradores que participam do processo eleitoral, com instruções, orientações e perguntas e respostas.
IOS https://itunes.apple.com/br/app/mesarios/id1133323415?mt=8
Andoid https://play.google.com/store/apps/details?id=br.jus.tse.eleitoral.mesarios
Agenda JE - Reúne todos os acontecimentos previstos para as eleições municipais e permite a notificação automática dos os prazos constantes do calendário.
IOS https://itunes.apple.com/br/app/agenda-je/id1122739384?mt=8
Android https://play.google.com/store/apps/details?id=br.jus.tse.eleitoral.app.c...
JE Processos - Permite acompanhar o andamento dos processos no TSE e nos tribunais regionais eleitorais.
IOS https://itunes.apple.com/br/app/je-processos/id896772790?mt=8
Android https://play.google.com/store/apps/details?id=br.jus.trese.treprocessos&...
Eleições 2016 – Reúne informações para o eleitor em uma única tela, como situação do título, orientações sobre justificativa, local de votação, informações sobre propaganda eleitoral e contatos do Disque-Eleitor. Estará disponível nos próximos dias
Onde votar ou justificar – Mostra o local de votação e postos de justificativa em todo o Brasil. Por meio do georreferenciamento, ajuda a traçar o melhor caminho para que o eleitor chegue à sua seção eleitoral. Estará disponível nos próximos dias
Boletim na Mão – Permite que o eleitor confira as informações contidas nos Boletins de Urna, que são impressos após o encerramento da votação e afixados nas seções eleitorais. Estará disponível nos próximos dias
Resultados – Vai permitir acompanhar, em tempo real, os dados do resultado da eleição em todo o Brasil. Também permite selecionar os candidatos favoritos e selecioná-los para acompanhar a apuração. Estará disponível nos próximos dias
QRUEL - Com o app, um servidor da Justiça Eleitoral pode ligar a urna e fotografar o QR Code que aparece na tela. Esse código detalha se a urna eletrônica está operando de forma correta e, caso a urna apresente problema, o TRE poderá substituí-la antes da eleição. Estará disponível nos próximos dias
Checkup da urna - Desenvolvido para uso dos técnicos da Justiça Eleitoral, o dispositivo faz uma checagem das funcionalidades gerais das urnas, o que permite atuar preventivamente na sua manutenção. Estará disponível nos próximos dias
Edição: Valéria Aguiar
RPI

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Policiais militares tentam eleger um militar para a câmara municipal de Itaituba


Os policiais militares lançaram um candidato a vereador nessa eleições municipais de 2016. Eles disseram acreditar que se faz necessário ter representatividade na política para melhorar a segurança pública e defender, claro, o respeito que a classe deve ter junto a sociedade. Os policias ouvidos pelo Blog RPI disseram que o tema segurança pública é recorrente na fala de todos os candidatos, mas que quase que na totalidade, se trata apenas de retórica,  palavras vazias, pois não há nenhum comprometimento e nem conhecimento do que pode ser feito para que haja melhora na segurança pública. Essa não é a primeira vez que os policiais militares tem um candidato, mas esta a primeira em que há comprometimento tanto da tropa quanto do candidato. A tropa da PM que hoje tem o aditivo dos integrantes do Corpo de Bombeiros, que também sairá beneficiada com um representante militar na câmara, aumentam as chances de vitória do candidato cabo Pedro 25777.
Cabo Pedro há vinte anos na Polícia Militar, está atuando à frente  da Associação dos Militares do Oeste do Pará, na cidade de Itaituba, na defesa dos policiais e bombeiros militares. Agora ele quer levar seu trabalho também para o cidadão civil, pois sabe que uma das mazelas que mais afligem a sociedade é a segurança pública e, para melhorar a segurança é preciso conhecer quem trabalha na área e o que precisa para obter o melhor resultado. Como policial decente e pai exemplar, quer levar para a câmara de Itaituba não apenas um defensor dos policiais, mas alguém com uma postura firme na defesa de uma sociedade mais ordeira e consciente. E garantiu ao blog que irá cobrar que o cidadão de bem também tenha sues direitos respeitados, pois hoje, lamentavelmente, só existe defesa institucionalizada para aqueles que caminham à margem da lei.
≤≥ Blog RPI

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Dupla é apresenta na Seccional por está usando moto furtada

Lucas Sousa da Silva e Gean Carlos Mesquita Silva Júnior foram apresentados na 19ª Seccional de Itaituba na manhã de hoje (22) pela PM por estarem de posse de uma moto que consta registro de furto na Polícia Civil. Os dois já tem passagem na delegacia por práticas de furto. A moto foi levada ontem da frente do shopping Itaituba.
≤≥ Blog RPI

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Partido Operação Lava Jato quer condenar Lula

Marcus Ianoni
Em artigo anterior, referi-me ao Partido Operação Lava Jato (POLJ), caracterizando-o como um grupo de interesse e “braço investigativo-jurídico da coalizão neoliberal-conservadora”. O corpo principal e a cabeça dessa coalizão estão nas elites econômicas – começando nos grandes rentistas e bancos e seus porta-vozes, as corporações midiáticas – e nas elites governantes – aí se destacando a ala neoliberal do PMDB, que emergiu defendendo o programa “Uma ponte para o futuro” (Temer, Moreira Franco etc) e o PSDB. As pernas, ou seja, sua base popular, espalhada em varandas, ruas e locais de trabalho, são as classes médias conservadoras e os estratos sociais desorganizados dos trabalhadores.
Essa coalizão, pelos braços do POLJ, quer condenar Lula e criminalizar o PT, para interferir nos resultados das eleições de outubro desse ano e, principalmente, nas de 2018 e, assim, impedir que o ex-presidente e seu partido recuperem espaço no sistema político-representativo. O PT perdeu espaço em função dos erros cometidos, mas muitíssimo também devido ao impacto negativo sobre sua imagem resultante da apropriação seletiva, partidarizada e irracional do combate, comandado por seus adversários e inimigos, aos crimes eleitorais e contra a administração pública em que se envolveu. Sabe-se que, o tempo todo, a Lava Jato tem sido assumidamente implementada em aliança com o oligopólio do espetáculo midiático. Essa partidarização de direita da coerção penal às ilegalidades mencionadas serve ao propósito de resgatar o país para o elitismo liberal e oligárquico, força política tradicional e poderosa na história do Brasil, berço de uma nação profundamente estruturada nas desigualdades (de classe, de cidadania, de raça, de gênero etc) e nas violências dos de cima sobre os de baixo.

domingo, 18 de setembro de 2016

Imprudência no trânsito de Itaituba continua matando

Na madrugada deste domingo (18), por volta das 5h30, o trânsito registrou mais um acidente com morte em Itaituba. Pelo menos um dos condutores das motos envolvidas, Rafael Alves da Silva, estava com sinais de ingerir bebida alcoólica e trafegava com dois passageiros na garupa, sendo apresentado na 19ª Seccional de Itaituba pela prática de crime de transito. O outro condutor, Iago Cerqueira de Sousa, foi socorrido pelos Bombeiros e encaminhado ao HMI. Duas jovens, Gessica Assunção Moraes e outra de pré nome Carol também foram levados para emergência do HMI. Já Rômulo Murilo da Silva Sousa, infelizmente, morreu no local do acidente, sendo encaminhado para o IML.

   O acidente ocorreu na BR 163, com a 9ª rua do bairro Bela Vista                                    ≤≥ Blog RPI