MENU

domingo, 27 de maio de 2018

Reflexos da paralisação dos caminhoneiros no Pará

Por G1 PA, Belém
Com sete dias de paralisação de caminhoneiros no Brasil, o número de serviços atingidos aumentou. Os impactos já atingiram o abastecimento de supermercados, a produção de agricultores, o funcionamento dos Correios, de um aeroporto e até de uma prefeitura do interior do Estado.

Combustível
Em Belém e região metropolitana, o abastecimento está normalizando, após o fim da interdição do Porto Petrolífero Miramar, na sexta (25). O Sindicato dos Combustíveis de Derivados do Petróleo, Gás Natural, Bicombustíveis do Pará (Sindicombustíveis-PA) informou ainda que existem dificuldades de abastecimento na região nordeste e sudeste do Estado, com diversos postos sem estoque de combustível, pois os caminhões tanque estão sendo impedidos de ultrapassar as barreiras de manifestantes em alguns pontos das estradas.
 
Supermercados
Segundo a Associação Paraense de Supermercados (Aspas), o abastecimento continua prejudicado com relação aos produtos perecíveis devido ao estoque baixo. Todo o resto de alimentos chamados de mercearia, além de produtos de higiene e limpeza não apresentam problemas baixa no estoque. Com relação aos hortifruti, a produção regional, de agricultura familiar está abastecendo as lojas. Segunda a Aspas, esse abastecimento está sendo feito com ajuda de caminhonetes e picapes para entregar a produção.
RPI
Aeroportos
O Aeroporto de Carajás, em Parauapebas, sudeste do Pará, continua com estoque zerado de combustível para aviação, de acordo com último informe da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). O aeroporto está fechado para pousos e decolagens e por conta disso os voos foram cancelados.
Em Belém, o abastecimento não afetou o aeroporto. A infraero informou que todos os voos estão operando dentro da normalidade. A Anac recomendou aos passageiros, com voos marcados para os próximos dias, que consultem as empresas aéreas antes de se deslocarem para os aeroportos.
 
Ônibus urbano
Com o retorno do abastecimento de combustível em Belém, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belém (Setransbel) informou que a frota está circulando normalmente neste sábado (26). De acordo com o sindicato, as empresas haviam informaram que só teriam combustível para rodar durante este final de semana e com frota reduzida, mas a medida não precisará mais ser tomada.
 
Serviços da prefeitura
A Prefeitura de Belém informou que os serviços essenciais oferecidos pelos órgãos e secretarias municipais estão garantidos sem prejuízos à população até a próxima segunda-feira (28), em Belém e nos distritos de Outeiro, Mosqueiro e Icoaraci. Com relação à limpeza urbana, os veículos que realizam coleta de lixo domiciliar, de entulho, e equipamentos de roçagem e bombeamento para desobstrução de drenagem estão com autonomia de combustível para operar durante todo final de semana normalmente. Uma das empresas que realizam a coleta do lixo domiciliar garantiu reservas de combustível para realizar a coleta sem interrupção até quarta-feira (30).
 
Ceasa
A Central de Abastecimento do Pará (Ceasa/PA) informou espera a chegada de alguns caminhões com carga para abastecer os permissionários de Belém, ainda neste domingo a partir das 18h, quando a central abre.
De sexta (25) para o sábado (26) foi registrada a entrada de apenas 11 caminhões no complexo. Três caminhões trouxeram produtos importados, como uva, manga, goiaba e tomate. As cargas vieram de São Paulo e Bahia. Os outros oito caminhões chegaram com laranja, limão, maracujá, mamão, coco e folhagens de Capitão Poço, Igarapé-Açu, Santa Izabel, Terra Alta e Castanhal.
A Ceasa informou pela tarde que aguarda a normalização da situação para que seja reposto o estoque e renovado o abastecimento de produtos hortigranjeiros, sendo a maioria vindo de outros Estados. O funcionamento deve ser normal, mas "depende do abastecimento para continuar fornecendo os produtos para os atacadistas e consumidores em geral".
 
Ufra
A Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) suspendeu as aulas nos Campi de Belém, Capanema, Capitão Poço, Paragominas, Parauapebas e Tomé-Açu, a partir de segunda-feira (28). De acordo com o informe publicado no site da instituição, a paralisação dos caminhoneiros que ocasionou desabastecimento de combustível dificulta o deslocamento de discentes, docentes e técnicos de educação.
RPI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

colabore: envie seu comentario para o blog